Terça, Outubro 24, 2017
   
Texto
Entrar
Dicas de Saúde

Ter, 27 de Junho de 2017 09:58

Alimentos que ajudam a manter a saúde no inverno

Escrito por Cristine Maraga

Você já deve ter lido em algum lugar aquele ditado que diz que “a defesa sempre é o melhor ataque”. O inverno é a estação do ano em que ficamos mais suscetível às infecções respiratórias e a alimentação desempenha papel muito importante na defesa do corpo, mantendo nossa imunidade. Para ficar com as defesas orgânicas em dia, certos alimentos, ricos em nutrientes e substâncias imunoestimulantes, devem fazer parte das refeições de quem quer manter a saúde.

A osteoporose é uma doença que atinge os ossos, principalmente das pessoas idosas, sendo mais comum entre as mulheres. Ela é uma doença crônica progressiva, caracterizada por uma diminuição da massa óssea e rompimento da arquitetura óssea, o que compromete a força e propicia fraturas.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), 13% a 18% das mulheres e 3% a 6% dos homens acima de 50 anos sofrem com a osteoporose no mundo. Algumas medidas podem ser tomadas ao longo da vida para prevenir o desenvolvimento da doença, como realizar atividades físicas, tomar sol por alguns minutos todas as manhãs, manter uma alimentação saudável e evitar atitudes que aceleram a perda da massa óssea, como exagerar no consumo de bebidas alcoólicas e fumar.

Algumas dicas podem ajudar na prevenção ou no controle da osteoporose:

ü  A ingestão de cálcio é fundamental para o fortalecimento dos ossos. Adote uma dieta rica em alimentos com cálcio (leite e derivados, como iogurtes e queijos).

ü  Consuma verduras de folhas escuras, como brócolis, espinafre e couve;

ü  Exponha-se ao sol de forma moderada. Os raios ultravioletas sobre a pele estimulam a produção de vitamina D, fundamental para a absorção do cálcio pelo organismo. Basta de 20 a 30 minutos de sol por dia, entre 6h e 11h;

ü  Não fume e evite o consumo excessivo de álcool;

ü  Independente da idade inicie um programa de exercícios (pode ser caminhada ou musculação, por exemplo). Entre outras vantagens, ajuda a fortalecer os músculos, melhorar o equilíbrio e os reflexos, evitando as quedas;

ü  Obstáculos como móveis, tapetes soltos e pouca iluminação, podem facilitar quedas e, consequentemente, provocar fraturas em pessoas com osteoporose.

Fonte:  Blog da Saúde

O que preciso para ser um doador? Para ser um doador é preciso comunicar a sua família sobre seu desejo. Pois é com sua família que será conversado sobre essa possibilidade, e serão eles que irão tomar essa decisão. A doação de órgãos ou tecidos, no Brasil, só ocorre após a autorização familiar.

Quais são os tipos de doadores?

Doador vivo: qualquer pessoa saudável, que não possua nenhuma contraindicação para realizar a doação, e que concorde espontaneamente com a doação. Conforme a legislação brasileira, parentes até quarto grau e cônjuges podem ser doadores; não parentes, somente com autorização judicial. O que pode ser doado: um dos rins, parte do pulmão, parte do fígado e medula óssea.

Doador falecido por morte encefálica: são pacientes que geralmente, estão internados em uma UTI, com morte encefálica diagnosticada, que ainda estão com seus órgãos funcionando com o auxílio de medicamentos e equipamentos. O que pode ser doado: coração, pulmões, fígado, rins, pâncreas, intestino, tecido ocular, pele e ossos.

Doador Falecido por parada cardiorrespiratória: são pacientes que o óbito já foi constatado, e não tem mais nenhum órgão vital funcionando. O que pode ser doado-  somente tecidos como: córneas, esclera, pele e ossos.

Após a doação o corpo fica deformado? Não. A retirada de órgãos/tecidos é realizada como uma cirurgia qualquer, sendo que é realizado curativo no local, colocação de prótese quando necessário e não fica nenhum sinal aparente.

Como são selecionadas as pessoas que irão receber esses órgãos? Existe uma lista única de espera para cada órgão ou tecido. As pessoas que irão receber estes órgãos, são selecionadas nesta lista conforme alguns critérios de compatibilidade com o doador, e também conforme critérios médicos. Ou seja, nem sempre o primeiro da fila de espera é que irá receber o órgão/tecido, essa determinação irá depender da compatibilidade do doador e receptor.

Posso ter certeza do diagnóstico de morte encefálica? Sim, até a conclusão deste diagnóstico são realizados vários exames para a comprovação do mesmo. Dois médicos realizam a avaliação clínica (composta de sete testes) do paciente, em momentos diferentes, com intervalo de tempo mínimo de seis horas, entre uma avaliação e outra, e há ainda, um outro exame que é realizado como prova complementar que é avaliado por um terceiro médico.

Pessoas que usam óculos/lentes de contato podem ser doadoras de tecido ocular? Sim, pois geralmente estes distúrbios que provocam dificuldades visuais ocorrem em outras estruturas do olho, e não nas córneas, não interferindo a doação.

Fonte: HRSP/ CIHDOTT – Comissão Intra Hospitalar de Doação de órgãos e tecidos para transplante.

 

 

 

Ter, 06 de Setembro de 2016 11:44

É hora de falar sobre SUICÍDIO

Escrito por Cristine Maraga

Falar sobre suicídio sempre é difícil. Algo que tendemos a esconder da nossa realidade, mas que nos assombra diariamente quando nos deparamos com determinados pensamentos, ou quando perdemos amigos, conhecidos e familiares que tiram sua vida. Muitas vezes de forma silenciosa, noutras com um tímido e/ou até extremado pedido de ajuda, o fato é que acontece e está ao nosso redor.

Deixar de falar sobre o tema não será a solução. Na área da saúde pública a prevenção das doenças é realizada com muita informação, apropriando as pessoas para que possam procurar ajuda e identificar sinais e sintomas de risco. Com o suicídio não seria diferente, a informação se faz necessária para que todos possam conhecer mais sobre o tema e procurar ajuda enquanto ainda há tempo.

Neste mês, comemoramos o setembro Amarelo com uma campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio. O dia 10 do mesmo mês corresponde ao Dia Mundial de Prevenção do Suicídio e aí temos a oportunidade de desvelar tabus e orientar a população. Por isso a seguir seguem alguns dados importantes sobre o assunto.

O suicídio pode ser compreendido como um ato deliberado, intencional, exercido pelo indivíduo cujo objetivo seja sua morte e usando um meio pelo qual acredite que possa ser letal. Sempre existiu na história da humanidade e é determinado multifatorialmente, ou seja, está relacionado a fatores psicológicos, genéticos, biológicos, culturais e socioambientais.

Dados atuais estimam para o Brasil o ranking de 8º país em números de suicídio, tendo 32 mortes de brasileiros por dia, dados que ultrapassam os índices da AIDS e da maioria dos tipos de câncer e que 17% da população pensa em algum momento da vida no suicídio. Alguns fatores de risco que frequentemente são exibidos pelas pessoas que têm a intenção de cometer suicídio são:

ü  Afastar-se dos amigos e da família.

ü  Depressão ou outras doenças mentais;

ü  Comorbidades clínicas; (associação de pelo menos duas patologias no mesmo paciente);

ü  Histórico familiar ou tentativa prévia;

ü  Transtornos de humor e de personalidade;

ü  Sofrimento psicológico intolerável;

ü  Perda da autoestima (com incapacidade para aguentar a dor psicológica);

ü  Isolamento (sensação de vazio e de falta de amparo);

ü  Desesperança (sensação de nada valer a pena);

ü  Comportamentos impulsivos;

ü  Ausência de diagnóstico precoce e tratamento adequado;

ü  Grupos de risco (adolescentes, jovens e idosos);

ü   Perdas significativas no decorrer da vida;

 

Em muitas situações as pessoas comentam sobre seus sofrimentos e pedem ajuda. Contudo, o senso comum acredita que o sinal é falso e que quem fala não faz. Tal afirmativa é falsa e ao mínimo sinal de que alguém está pensando em tirar sua própria vida, é importante dar atenção e ajudar. A identificação dos sinais de risco deve ser realizada por profissional apropriado da área da saúde, médico, psiquiatra e psicólogo que saberão como conduzir o assunto e para onde encaminhar para o tratamento.

Porém, qualquer pessoa pode ajudar ouvindo, orientando, observando e até conversando sobre o assunto com quem estiver precisando. Jamais ignore pensamentos relacionados a morte, ou planos reais de execução. Ao se deparar com esta situação não minimize e não julgue seu próximo e nem a si mesmo, não hesite em procurar ajuda. SEJA RÁPIDO E EVITE O PIOR.

 

Fonte: Psicóloga Eliandra Solivo - HRSP

Qua, 10 de Agosto de 2016 17:28

Colesterol HDL: como aumentar o colesterol bom

Escrito por Cristine Maraga

Hábitos do dia a dia podem ajudar a melhorar a quantidade desse mocinho do organismo


O colesterol HDL é considerado o colesterol do bem no organismo. "O HDL é um tipo de colesterol de densidade mais alta e que não gruda nos vasos sanguíneos. Portanto, ele não aumenta o risco de entupimento dos vasos, que leva ao AVC ou ao infarto", explica o nutrólogo Roberto Navarro, membro da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN).

Já o colesterol LDL, por ter uma densidade mais baixa, tem maior facilidade de ficar pelo caminho quando é carregado pelo corpo, causando acúmulo de placas de gordura nas veias e artérias. "No entanto, as proteínas que carregam o HDL costumam recolher o LDL quando voltam para o fígado, impedindo esse efeito", considera o especialista.

Por isso mesmo, quanto mais desse colesterol circulando no organismo, melhor. O problema é que ele costuma ser baixo no organismo. "É muito comum, e na maioria dos casos o HDL baixo tem uma origem genética (o organismo produz pouco HDL naturalmente). O sedentarismo, a má alimentação e o tabagismo reduzem o HDL", explica a cardiologista Olga Ferreira de Souza, coordenadora de Infraestrutura da Sociedade Brasileira de Cardiologia e coordenadora de Métodos da Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas.

Além disso, pessoas com HDL baixo têm maior chance de terem problemas cardiovasculares, como infarto, AVC e doença coronariana. "Uma diminuição de 4mg/dl no HDL promove um aumento de 10% na incidência da doença arterial coronária. Mesmo que os valores de LDL sejam adequados, o fato de ter HDL baixo, aumenta esse risco", alerta o cardiologista Marcelo Cantarelli, presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia Intervencionista. Veja a seguir como manter os níveis de HDL mais altos.

1. Corte os alimentos açucarados

O açúcar não tem uma relação direta com o colesterol HDL, no entanto, reduzi-lo na dieta ajuda no emagrecimento, que está intimamente ligado a este índice. "A redução de peso pode aumentar o HDL de 5% a 20%", ensina o cardiologista Cantarelli. Esse tipo de açúcar é metabolizado muito rápido pelo organismo, trazendo grandes quantidades de energia para o corpo ao mesmo tempo. Quando essa energia não é usada, se torna gordura, que costuma aumentar o colesterol LDL devido à sua própria produção hormonal.

2. Evite a gordura trans

A gordura trans é uma grande inimiga da saúde do coração e está diretamente ligada à redução do colesterol HDL. "Essa gordura normalmente ocupa o lugar do colesterol HDL na proteína que o carrega, fazendo com que ele circule em menor quantidade no corpo", explica o nutrólogo Roberto Navarro. Além disso, ela também incentiva a produção de proteínas que carregam o colesterol LDL no fígado, aumentando a quantidade deste tipo de lipídio no corpo.

3. Aposte nos ômega-3 e 9

Chamados de ácidos graxos poli-insaturados, os ômega-3 e 9 são essenciais para o bom funcionamento do organismo e ajudam também a aumentar o colesterol HDL. "Eles podem promover discreta elevação de menos de 3% em seus níveis", considera Cantarelli. Além disso, eles e o ômega-6 são de grande importância para reduzir o risco de doenças cardiovasculares. "São diversos os mecanismos envolvidos nessa melhora, entre eles o aumento da remoção das partículas de LDL e a redistribuição do colesterol para os tecidos", reforça o especialista. Esses ácidos são encontrados nos óleos vegetais (como azeite de oliva, óleo de canola, soja, milho e girassol) e peixes de águas frias e profundas

4. Pratique atividades físicas

"O exercício aumenta o nível de HDL, porém este aumento é proporcional à quantidade de exercício realizado e à frequência", considera a cardiologista Olga. A atividade física regular pode trazer um aumento de 30% desse tipo de colesterol. Um bom número é praticar ao menos três vezes na semana.

5. Maneire as bebidas alcoólicas

O álcool pode ajudar a aumentar o HDL. "Não se sabe ao certo quais os mecanismos envolvidos, mas é certo que até 300 ml ajudam a melhorar esse perfil lipídico", considera Roberto Navarro. No entanto, se você exagerar nessa quantidade, o tiro sai pela culatra, literalmente, já que os níveis de triglicérides aumentam, causando problemas cardiovasculares da mesma forma.

6. Pare de fumar

Fumantes que abandonam o hábito podem ter um aumento de 5% no seu HDL circulante. "Não se sabe ao certo o porquê dessa relação, mas o tabaco de alguma forma reduz a circulação desse colesterol", explica Navarro. E ainda por cima aumenta mais as chances do aparecimento de doenças cardiovasculares, já que danifica os vasos sanguíneos, o que propicia o acúmulo de colesterol LDL.

Fonte: Minha Vida.

A higienização das mãos tem como finalidade a remoção da sujeira, suor, oleosidade, pelos, interrompendo a transmissão de infecções veiculadas ao contato.  O ato de lavar as mãos é isoladamente, a medida mais importante para reduzir o risco de transmissão de microrganismos de uma pessoa para outra. Lavar as mãos corretamente e regularmente é extremamente importante para a manutenção da saúde, porque evita a contaminação por germes que estão em toda parte, como em um espirro, no assento de um ônibus ou mesmo nas notas de dinheiro.

Ações simples de prevenção de transmissão de infecções, como a correta higienização das mãos são medidas muito eficazes e devem ser adotadas especialmente:


- Ao entrar e sair do ambiente hospitalar;

- Antes e após o contato com pacientes;

-Antes e após utilizar o banheiro;

- Após assoar o nariz, tossir ou espirrar;
-Antes da manipulação de alimentos e antes de alimentar-se;

- Antes de efetuar qualquer ação que inclua o contato com as mucosas corporais (por exemplo, colocar ou retirar lentes de contato);

- Após manusear resíduos (por exemplo, lixos domésticos);
- Após tocar em animais ou nos seus dejetos;

- Após usar os transportes públicos.

Como higienizar:

Utilizando água e sabão ou álcool gel. É importante que toda a extensão das mãos, incluindo unhas, punhos e entre os dedos estejam higienizados. Desta forma você estará protegendo a você e sua família. Dada a importância da lavagem das mãos, é indispensável que todos tenhamos a consciência preventiva e repassamos a nossos familiares, colegas e amigos sobre a importância da higienização das mãos. A lavagem das mãos deve ser um hábito de todos, pratique esta ideia.

Fonte: HRSP

Qua, 27 de Abril de 2016 16:18

Saiba o que é e como prevenir a Hipertensão

Escrito por Cristine Maraga

Hipertensão, usualmente chamada de pressão alta, é ter a pressão arterial, sistematicamente igual ou maior que 140 por 90 (14x9). A pressão se eleva por vários motivos, mas principalmente porque os vasos nos quais o sangue circula se contraem. O coração e os vasos podem ser comparados a uma torneira aberta ligada a vários esguichos. Se fecharmos a ponta dos esguichos a pressão lá dentro aumenta. O mesmo ocorre quando o coração bombeia o sangue. Se os vasos são estreitados a pressão sobe.

Quais são as consequências da pressão alta?

A pressão alta ataca os vasos, coração, rins e cérebro. Os vasos são recobertos internamente por uma camada muito fina e delicada, que é machucada quando o sangue está circulando com pressão elevada. Com isso, os vasos se tornam endurecidos e estreitados podendo, com o passar dos anos, entupir ou romper. Quando o entupimento de um vaso acontece no coração, causa a angina que pode ocasionar um infarto. No cérebro, o entupimento ou rompimento de um vaso, leva ao "derrame cerebral" ou AVC. Nos rins podem ocorrer alterações na filtração até a paralisação dos órgãos. Todas essas situações são muito graves e podem ser evitadas com o tratamento adequado, bem conduzido por médicos.

Quem tem pressão alta?

Pressão alta é uma doença "democrática". Ataca homens e mulheres, brancos e negros, ricos e pobres, idosos e crianças, gordos e magros, pessoas calmas e nervosas. A Hipertensão é muito comum, acomete uma em cada quatro pessoas adultas. Assim, estima-se que ela atinja em torno de, no mínimo, 25 % da população brasileira adulta, chegando a mais de 50% após os 60 anos e está presente em 5% das crianças e adolescentes no Brasil. É responsável por 40% dos infartos, 80% dos derrames e 25% dos casos de insuficiência renal terminal. As graves consequências da pressão alta podem ser evitadas, desde que os hipertensos conheçam sua condição e mantenham-se em tratamento com adequado controle da pressão.

10 Mandamentos contra a pressão alta

  1. Meça a pressão pelo menos uma vez por ano.
  2. Pratique atividades físicas todos os dias.
  3. Mantenha o peso ideal, evite a obesidade.
  4. Adote alimentação saudável: pouco sal, sem frituras e mais frutas, verduras e legumes.
  5. Reduza o consumo de álcool. Se possível, não beba.
  6. Abandone o cigarro.
  7. Nunca pare o tratamento, é para a vida toda.
  8. Siga as orientações do seu médico ou profissional da saúde.
  9. Evite o estresse. Tenha tempo para a família, os amigos e o lazer.

10.  Ame e seja amado.



Fonte: Sociedade Brasileira de Hipertensão

A Influenza A (H1N1) é uma doença respiratória aguda e a transmissão ocorre de pessoa a pessoa, principalmente por meio de tosse, espirro ou contato com secreções respiratórias de pessoas infectadas. Saiba como se prevenir da gripe adotando medidas simples:


- Higienizar as mãos frequentemente com água e sabão ou com álcool a 70%, abrangendo toda superfície de maneira efetiva, especialmente depois de tossir ou espirrar. 

- Ao tossi ou espirrar, cobrir o nariz e a boca com um lenço, preferencialmente descartável, ou utilizar o antebraço para proteger a boca;

- Manter a distância de 1 metro ao falar com pessoas com sintomas respiratórios. Pois a transmissão da gripe ocorre através de gotículas, e estas não permanecem suspensas no ar, protegendo-o;

- Não compartilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal.

- Pessoas com sintomas respiratórios (febre, tosse, garganta inflamada, dores no corpo, dor de cabeça, calafrios e fadiga) devem evitar ambientes fechados e com aglomeração de pessoas.

- No domicilio manter portas e janelas abertas para circulação de ar;

- Não usar medicamentos sem orientação médica. A automedicação pode ser prejudicial à saúde.

- Procure o seu médico ou a unidade de saúde mais próxima em caso de gripe para diagnóstico e tratamento adequados.

- Ao receber tratamento medicamentoso, seguir o esquema terapêutico de acordo com orientação médica;


ATENÇÃO: Se você estiver com febre acima de 38 graus e apresentar dificuldade respiratória, procure o seu médico ou a unidade de saúde mais próxima o mais precoce possível.

Fonte: CCIH- Hospital Regional São Paulo.

De uma forma em geral, podemos dizer que há uma constante no senso comum das pessoas no que se refere a forma como significam o coração. Assim como retratada na letra da música Carinhoso, de Pixinguinha, é o coração que sente dificuldade em suportar momentos difíceis e de muito sofrimento, é ele que fica apertado no peito e parece que vai explodir. O coração realmente sente, ele reage às emoções de tal forma que se altera.

Amamentar é um ato natural e constitui a melhor forma de alimentar, proteger e amar o seu bebê. A organização mundial da saúde preconiza que o aleitamento materno deve ser exclusivo até sexto mês de vida da criança, sendo assim, os bebês não precisam de chás, sucos, outros leites, nem mesmo de água. Após essa idade, deverá ser introduzida alimentação complementar apropriada (como papas de frutas, sopas, etc), mas a amamentação deve continuar até o segundo ano de vida da criança ou mais.

Bebês que são amamentados com leite materno tem menor propensão a doenças e são mais bem nutridos do que aqueles que ingerem qualquer outro tipo de alimento, pois somente o leite materno oferece anticorpos que auxiliam na imunidade prevenindo assim, futuras doenças. Utilizar substitutos do leite materno, como fórmulas infantis ou leite de outros animais, pode ser um grande risco para a saúde do bebê. Estes leites podem ser ofertados apenas quando haver indicação médica ou de nutricionista.

É de extrema importância que as mães tenham uma alimentação balanceada e também façam a ingestão de bastante líquido para que desta forma possa ofertar todos os nutrientes necessários através do leite para seu bebê.

Amamentar é um ato de amor para com seu filho, por isso as mães devem ter o apoio de familiares e amigos para estabelecer esse vínculo afetivo.

Fonte: Nutricionista Suellienn Centenaro – Vice Coordenadora da CAM - Comissão do Aleitamento Materno do HRSP.

Página 1 de 10
Restaurar configuracao Padrao

Login Form