Segunda, Dezembro 11, 2017
   
Texto
Entrar
Qua, 29 de Novembro de 2017 15:25

Cinoterapia: Cão auxilia na fisioterapia de pacientes do Hospital Regional São Paulo

Qualifique este item
(0 votos)

Pacientes que se recuperam de procedimentos interagem com o cachorro durante os exercícios

Uma novidade tem feito a alegria de pacientes que se recuperam de procedimentos cardíacos realizados no Hospital Regional São Paulo, é a junção da fisioterapia com os cães que fazem visitas ao hospital por meio do projeto de Cinoterapia. O HRSP é referência em cardiologia para todo o Oeste Catarinense, realizando em média oito procedimentos cirúrgicos por semana. Após a cirurgia, os pacientes passam por um longo período de reabilitação e o cão se tornou um aliado da fisioterapia nesse momento.

“Caminhei por 20 minutos e nem percebi. Ganhei o dia”, comenta eufórica a paciente Silvane Lopes Aires Krzyzaniak após participar da fisioterapia acompanhada pela labradora Malu, do corpo de Bombeiros de Xanxerê. Para muitos, o fato de um cachorro acompanhar a fisioterapia pode parecer sem sentido, mas os próprios pacientes argumentam a favor do animal.

Silvane fez uma cirurgia cardíaca há seis dias e está em recuperação no HRSP. “Eu estava com medo de caminhar, de ter uma tontura, pois ficamos mais receosos depois de uma grande cirurgia, como a que eu fiz. Eu havia andado no máximo cinco minutos no corredor, mas hoje nem percebi o tempo passar. Andei, fiz os exercícios e a Malu era uma distração para mim. Eu achei fantástico”, conta a paciente.

O projeto Cinoterapia, desenvolvido em parceria com o Corpo de Bombeiros de Xanxerê, existe há cerca de três anos. Os animais já visitam os pacientes do HRSP pelo menos uma vez por semana, porém agora as visitas foram direcionadas também para auxiliar os pacientes em reabilitação que precisam de fisioterapia.

Nos corredores da ala de cardiologia, por exemplo, é comum encontrar nas tardes de terças-feiras um dos cachorros acompanhando o paciente no momento do exercício. A fisioterapeuta Alessandra Mozetic explica que a interação parece simples, mas por meio do contato com o cão é trabalhado o alongamento e fortalecimento muscular, estímulo de equilíbrio e coordenação motora associado a exercícios respiratórios, estímulo sensório e tátil.

“O diferencial é que no contato com o animal, surgem aspectos que beneficiam em grande escala a melhoria da qualidade de vida, aumentando o contato social com os outros pacientes, melhora da sociabilização, além de promover o bem-estar físico. Os cães trazem muita alegria, o retorno é muito positivo”, comenta a fisioterapeuta.

Como numa brincadeira, cachorro e cinotécnico (bombeiro que atua com o cão) fazem os mesmos percursos de exercícios que o paciente. É um estimulo a mais para que ele supere o período de recuperação.

Ainda conforme a fisioterapeuta, a cinoterapia busca o aprimoramento da reabilitação e contribui para melhoria da qualidade de vida numa perspectiva interdisciplinar ao paciente, fazendo com que ele desenvolva capacidades físicas, funcionais, cognitivas e sociais necessárias para o desenvolvimento global. “A simples presença do cão e a interação do animal com a pessoa, seja criança ou adulto, é terapêutica”, explica.

Cristine Maraga - ASCOM HRSP

 

Última modificação em Seg, 29 de Novembro de 1999 21:00

Imagens adicionais

Restaurar configuracao Padrao

Login Form